Postagens

AOS CRUCIFICADOS DE HOJE: não basta apenas rezar é preciso ser profetas, denunciar as injustiças e anunciar a libertação

 Luiz Carlos Rodrigues da Silva* Alagoa Nova/PB, 10 de julho de 2021 Recentemente eu fiz uma leitura do artigo: “ O que Deus tem haver com os crucificados ” do Pe. Ademir Guedes, cp – missionário Passionista – e o autor traz um contexto sobre a importância dos crucificados de hoje e o relaciona com a vida profética de Jesus. Ao anunciar o Reino do Pai, Jesus foi subversivo ao modelo estabelecido na época que oprimia e escravizava os menos favorecidos. O autor destaca que os crucificados da época de Jesus (os pobres e marginalizados) eram importantes para Deus porque o projeto de salvação incluía o risco de morte  do seu Filho,  afim de libertar seu povo, através do anúncio do novo Reino.  Hoje os crucificados do nosso tempo continuam dentro do projeto salvífico de Deus, mas carece que assumamos o compromisso profético em denunciar e anunciar a Boa-Nova assim como Jesus. Ser cristão, ou ao menos se intitular, dentro do projeto de Jesus Cristo é assumir os riscos inerentes a missão. É

O cristianismo e o sentido da vida; por Pe. Ademir Guedes, cp

MAIS DE 400 MIL VÍTIMAS: precisamos construir um novo tempo e superar o egoísmo humano

É preciso abraçar as cruzes de hoje ancorado na Cruz esperançosa de Jesus

O erótico da Cruz

Uma campanha certa para tempos incertos; "Cristo é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade."

Deixar Deus partir; por Pe. Ademir Guedes, cp

Viver na Esperança um desafio para o hoje

Não podemos relativizar o vírus e nem ignorar a fome que cresce no Brasil

2020 nos apontou e temos a obrigação de caminhar para à Fraternidade Universal em 2021

Papa Francisco de coração Passionista: "Não podemos ver o rosto de Deus, mas podemos experimentá-lo ao olhar para nós quando honramos o rosto do próximo que nos ocupa com suas necessidades"

A busca pela sobrevivência, na sociedade, impulsionado pela sabedoria do sol; por Pe. Ademir Guedes

Uma reflexão sobre o perigo de relativizar a verdade cristã

MEDO E COMODISMO: a resistência ao novo e o perigo em evitar as consequências do caminho libertador

A PARTICIPAÇÃO SOCIAL: é a esperança em meio ao caos gerado pela guerra política em uma sociedade ferida

Compartilhe com seus amigos: